O debate mediado pelas hashtags #Arregão e #Arregao

Juliana Souza

O candidato para a presidência do Brasil, Jair Bolsonaro, foi o único a declinar, entre os candidatos, o convite ao debate do 1º turno, no dia 4 de outubro de 2018, que aconteceu na emissora da TV Globo. Contudo, de acordo com a Folha de S. Paulo, o candidato do PSL deu entrevista à emissora da TV Record, a qual foi transmitida no mesmo horário do debate. Na entrevista à Record, que durou 25 minutos, Bolsonaro falou à vontade, sozinho – com um tempo muito maior em comparação com os demais candidatos – sobre seu programa de governo e atacou adversários sem ser contestado (FOLHA S. PAULO, 2018). Nota-se que o candidato teve tratamento diferenciado no mesmo momento em que ocorria um debate democrático com os demais candidatos em uma emissora de televisão. Devido a esta entrevista, as hashtags #Arregão e #Arregao (com e sem o til) foram acionadas pelos usuários do Twitter, que alavancaram as conversações em rede. Para a coleta das hashtags foi utilizado o TAGS, software que faz coleta de tweets, usuários, localização dos usuários, reply, entre outros dados. Conforme o Gráfico 1 abaixo, foram 9.924 tweets com a #Arregão e 10.135 tweets com a #Arregao, totalizando 20.059 tweets. Essas hashtags se destacaram, durante o acontecimento do debate, nos Trending Topics do Twitter.

Gráfico 1 – Número de tweets com as hashtags
Fonte: dados da pesquisa, 2018

O que movimenta essa conversação em rede é sua mediação em relação ao fato do candidato afirmar que sua presença nos debates dependeria de uma avaliação médica. De acordo com a Folha de S. Paulo, em transmissão pelas redes sociais online, Bolsonaro havia alegado sua ausência devido ao atentado que sofreu em 6 de setembro de 2018. No dia 29 de setembro, o candidato recebeu alta do hospital e fez várias transmissões nas redes sociais online, evitando debates em emissoras de TV. Para o segundo turno, o candidato recusou quatro convites em outubro: dia 12 na emissora Band, dia 14 na Gazeta, dia 15 na Rede TV e no dia 17 no SBT (FOLHA S. PAULO, 2018). Observa-se que é a primeira eleição sem embate de propostas no segundo turno desde a redemocratização. No entanto, não é a primeira vez que candidatos à presidência declinam convites à debates, principalmente em televisão. O que difere dos anos anteriores das eleições presidenciáveis, é que este pronunciamento só havia ocorrido durante o primeiro turno.

Deixe uma resposta